Paguei minha divida com sexo!

(Quer usar este espaço para divulgar algo? clique na imagem.)

Anuncia Aqui

Oi, me chamo Viviane e sou casada com Marcos, moramos no Paraná e ainda não temos filhos, e vou contar aqui minha difícil situação, tudo começou depois dessa crise, . Marcos acabou desempregado depois de anos trabalhando na mesma firma, e as coisas ficaram piores quando eu também fui despedida, então depois de meses nossas dívidas foram se acumulando, Marcos entrou em depressão e parece que não vai melhorar até encontrar um outro emprego, já eu, estou fazendo meus bicos, faço uns trabalhos de TCC e ganho o suficiente pra comprar comida, os pais do Marcos estão ajudando com o resto.

(Quer usar este espaço para divulgar algo? clique na imagem.)

Anuncia Aqui

Não me sinto muito confortável com eles mandando dinheiro para nos, mas é somente uma fase e quando Marcos voltar a trabalhar tudo vai melhorar, e ai foi que eu comecei a me endividar com cartão de crédito, tenho conta no Santander e meu limite não é pequeno, comecei a negociação com meu gerente, Silas, um cara bem mais velho que eu, então ele me propôs refinanciamento da dívida e eu aceitei, só que no primeiro mês já não consegui pagar e o Silas me ligou, Vivi, preciso falar com você pessoalmente, eu estava no centro perto da agência e disse que passaria lá mais tarde, Silas me recebeu como sempre muito educado, e ouviu minhas. Desculpas com muita atenção, mas me interrompeu dizendo, Vivi, você não vai conseguir pagar essa dívida sem minha ajuda, sua voz firme insistiu, você precisa confiar em mim.

Fiquei calada olhando para ele sem entender muito bem aonde Silas queria chegar, realmente eu não estava entendendo, como ele poderia me ajudar, então Silas foi curto e grosso, Vivi, sua dívida é muito alta e eu posso te dar uma força, mas não podemos conversar aqui sobre isso, eu preciso te falar depois e tem que ser fora do banco, eu fiquei meio atordoada e continuei ouvindo Silas, você pode me encontrar depois das cinco horas no café do calçadão, ai eu explico melhor, eu tinha que ficar pelo centro mesmo para pagar um crediário nas casas bahia, então fiquei batendo pernas até as cinco, acabei me atrasando e quando cheguei Silas já estava me esperando, ele levantou puxou a cadeira cordialmente para que eu pudesse sentar e chamou o garçom, eu disse que não precisava pois não queria me demorar, mas Silas insistiu e eu aceitei um café, mas na verdade estava curiosa para saber como ele podia me ajudar com a dívida, Silas não eram homem de ficar enrolando e foi logo direto ao assunto, Vivi posso te emprestar a quantia da sua dívida, você pega o dinheiro comigo e eu cobro um juros menor que o banco, na hora achei uma boa proposta só não aceitei de imediato por quê precisava falar com Marcos a respeito, então pediu um tempo de dois dias para pensar e Silas concordou me alertando que quanto mais tempo eu demorasse mais juros eu pagaria e a dívida só estava aumentando.

Cheguei em casa naquela noite e fui procurar Marcos para conversar sobre o empréstimo, mas acabei ouvindo sua conversa ao telefone, com sua mãe, ele não sabia que eu estava em casa então deixou o celular no viva-voz e eu pude ouvir a conversa dos dois à respeito de nossas dificuldades, sua mãe dizia que eu estava gastando demais e que Marcos era muito mole comigo, e ele só tentava se desculpar mas ela não dava muita chance e só ficava reclamando do dinheiro que precisava depositar na nossa conta, depois de muita reclamação ela desligou o telefone e Marcos se trancou no banheiro para tomar banho, só sei que naquela noite não consegui falar nada com ele sobre o tal empréstimo, sua mãe não tinha razão em jogar todo aquele peso nas minhas costas, e Marcos já andava tão para baixo que resolvi não contar nada para ele, eu ia resolvi aquilo sozinha.

Na manhã seguinte fui direto ao banco conversar com Silas, fui a primeira cliente entrar no banco, Silas até se assustou com minha pressa para realizar o empréstimo, mais uma vez ele me alertou que não podíamos conversar dentro do banco sobre aquele assunto, Silas era agiota e aquilo podia causar problemas para ele, então ele me convenceu de almoçarmos juntos para acertarmos os detalhes, e nos encontramos na praça de alimentação do shopping perto da agência, eu por mim conversaria com ele ali mesmo, mas Silas propôs o lugar mais discreto, então fomos de carro até uma cantina italiana, Silas disse que gostava muito de almoçar lá porque tinha a melhor massa da cidade, fizemos nossos pedidos e Silas pediu uma garrafa de vinho, eu estava meio incomodada mas ele foi explicando sobre o empréstimo e depois de umas taças nosso papo já estava fluindo, quando Silas me perguntou, Vivi, você me permite úma pergunta indiscreta, eu fiquei meio sem jeito, mas disse tudo bem, então Silas com jeito cafajeste disse, Vivi eu posso te dar essa quantia que você precisa, se você ficar comigo por uma noite, eu não acreditei que ele teve coragem de falar aquilo para mim daquele jeito, eu fiquei sem palavras e Silas ainda complementou, você não precisa responder agora, e se você não quiser também não tem problema, pensa com carinho na minha proposta, eu estava tão encabulada com aquela proposta, nunca imaginei que ele teria coragem, na hora eu pensei em levantar e ir embora, mas nem essa reação eu consegui ter, o garçom trouxe nos pratos e Silas mudou de assunto, ele era tão cara de pau que nem parecia ter feito aquela proposta a pouco, então terminamos nosso almoço e ele me deu uma carona de volta, antes de eu descer do carro Silas pegou na minha mão e disse vou ficar esperando sua resposta, eu desci do carro sem consegui falar uma sequer palavra.

Cheguei em casa logo depois do almoço e fui encontrar Marcos, estáva sentado na sala assistindo TV, sentei ao seu lado e fui puxando um papo, Marcos como sempre estava triste e cabisbaixo, acho que já fazia um mês que não transávamos, eu sempre fui uma mulher muito fogosa, acho que tinha sido o vinha do almoço, então tomei a iniciativa, estava louca de vontade, comecei beijando o pescoço de Marcos passando minhas mãos nas suas coxas mas ele não se animou muito, insisti por mais um tempo, mas Marcos prestado mais atenção na TV do que em mim, levantei e fui tomar um banho, entrei no quarto e peguei meu celular, tinha uma mensagem do Silas no WhatsApp, fiquei com a lembrança do seu perfume, beijos Silas, o desgraçado estava me seduzindo, apaguei a mensagem e entrei no banho, meu corpo estava pegando fogo e eu precisava muito me masturbar, ensaboei meu corpo e comecei a pensar na proposta que tinha recebido, de alguma forma aquela proposta mexeu comigo, quando menos percebi já estava me masturbando, pensando em aceitar, fiquei muito excitada e gozei apenas com a ideia na cabeça, como as coisas são engraçadas, até então nunca tinha pensado em trair Marcos, mas me livrar da dívida de uma forma tão fácil era muito tentador.

Eu precisava dar uma resposta para Silas, mas não tinha coragem, metade de mim queria e a outra metade dizia que àquilo era errado, Silas não parava mais de mandar mensagens, algumas delas dizendo que ele não via a hora de me ter em seus braços, então depois de alguns dias eu já estava disposta aceitar aquela proposta logo de uma vez, mas eu precisava de uma desculpa convincente, não podia apenas sair e ficar uma noite fora, Silas deixou bem claro para perdoar a dívida eu precisava ficar com ele pelo menos uma noite inteira, eu nunca tinha traído Marcos e aquilo estava sendo difícil para mim, eu ia me prostituir, Silas estáva querendo muito ficar comigo, porque pelo valor da dívida ele podia contatar várias acompanhantes, mas eu acho que o tesão dele era por uma mulher como eu, casada e de família, eu fui enrolando o quanto podia, até que Silas me enviou uma mensagem dizendo que eu tinha uma semana, nem mais um dia, então resolvi ligar para uma amiga de colégio a Adriana, não tive coragem de contar tudo que estava passando mas disse que precisava da sua ajuda, ela disse que podia contar comigo para o que precisar, então disse para ela que se alguém perguntar, ela ia precisar da minha ajuda no final de semana por causa de uma cirurgia, Adriana percebeu que eu estava metido em alguma enrascada mas amiga é para essas coisas disse que tudo bem que podia contar com ela.

Mandei uma mensagem para o Silas dizendo quê na sexta-feira depois das 6 horas, íamos nos encontrar, conversei com Marcos com bastante antecedência e ele aceitou tranquilamente não desconfiou de nada, disse que quando chegasse na casa da Adriana eu ligava para ele, ele queria me levar na rodoviária, mas até isso já tinha pensado, tinha chamado um uber, e não era para ele se preocupar porquê Adriana ia pagar todas as minhas despesas afinal eu estava indo ajudar uma amiga, todos aqueles preparativos me deixaram muito ansiosa, nem nos meus sonhos mais impuros eu imaginei estar fazendo uma coisa daquelas, mas o proibido mexe com a gente, era uma mistura de sensações, estava eufórica e excitada ao mesmo tempo, eu não sabia a desculpa que Silas tinha dado para sua família, acho que ele falou alguma coisa sobre o congresso do banco, mas a essa altura meus desejos me consumiam, eu já tinha ido longe demais para voltar atrás.

(Quer usar este espaço para divulgar algo? clique na imagem.)

Anuncia Aqui

Peguei o Uber para não despertar nenhuma desconfiança, Marcos se despediu de mim e me deu até um arrependimento, mas não dava para recuar, no caminho Silas me enviou uma mensagem com uma foto, o safado tirou uma foto do seu pênis ereto, era grande e cabeçudo bem maior do que o do Marcos, com a legenda, olha o que te espera Vivi, ele estava me tratando como uma putinha e eu já não podia mais desistir, então nos encontramos na hora e no lugar marcado, Silas abriu a porta do carro e eu sentei no banco da frente, ele me comprimentou com um beijo no rosto, meio querendo beijar minha boca, achei aquilo um atrevimento, ele ligou o carro e pegou o sentido da rodovia, começou a se afastar da cidade e foi aí que eu tive coragem de perguntar aonde estávamos indo, Silas respondeu que era surpresa, eu não tinha nem ideia de onde estávamos indo, não conhecia o caminho só sei que já estávamos mais de uma. Hora na estrada, Silas às vezes passava sua mão na minha perna enquanto trocava as marchas e fazia alguns comentários desconcertantes, coisas do tipo, você não sabe quanto eu desejei isso, Silas não era um cara feio, mas não era meu tipo, eu só pensava na dívida que eu queria pagar.

Depois de bastante tempo na escada ele entrou em uma estrada de chão com muitas chácaras e sítios, até avistar uma placa Pousada Três Lagoas, ele pegou o caminho no carreador estreito e escuro até chegarmos a sede, ele tinha reservado um chalé, pediu para mim esperar no carro e foi acertar os detalhes e pegar a chave, Silas estava muito animado e contente, eu estava com uma mochila com minhas roupas porquê Marcos achava que eu estava ajudando uma amiga adoentada, então tive que levar roupas pelo menos para o final de semana, mas meu combinado com Silas era apenas uma noite, entrei no quarto e pude notar que era uma Pousada bem cara, o quarto era grande com lareira frigobar e uma Vista para uma das Lagoas, Silas abrir uma das portas que saía uma varanda, o lugar era lindo demais, Silas tinha caprichado e perguntou o que eu achava, eu falei para ele que tinha gostado bastante, mas estava muito encabulada, afinal ele era gerente do meu banco e ele era praticamente um estranho para mim, mas nem na minha lua de mel eu fiquei no lugar tão bonito, mas mesmo assim não conseguia relaxar.

Silas perguntou se estava com fome, eu estava morrendo de fome mas disse que mais ou menos, ele pegou o interfone do quarto e disse para servirem nossa janta no quarto, ele tinha premeditado tudo e organizou tudo nos mínimos detalhes, eu estava me sentindo uma princesa, aos poucos fui gostando daqueles galanteios, eu fui relaxando e curtindo como se estivesse de férias, Silas disse que a janta ia demorar um pouco se eu não queria tomar um banho e trocar de roupa primeiro, eu achei uma excelente ideia, entrei no banheiro e tomei uma ducha bem demorada, Silas ficou assistindo os canais da TV a cabo, quando sai do banheiro Silas se aproximou de mim e cheirou meu pescoço, me abraçou pela cintura e disse é assim que eu gosto de mulher, cheirosa e perfumada, nosso jantar estáva servido numa mesa da varanda em frente ao Lago com luz de velas e uma champanhe reservada no gelo, era uma Vitela assada com legumes, e uma massa gratinada ao molho pesto, parecia uma cena de filme de Hollywood, Silas devia estar gastando uma nota preta, o lago todo iluminado com luzes coloridas, o clima romântico tomava conta da pousada, a música ambiente era de bom gosto, mpb e Bossa Nova, os garçons eram super educados e nos serviam com requinte, jantamos como Reis e bebemos a garrafa inteira e Silas pediu outra garrafa, nesse momento meu celular tocou era Marcos querendo saber seu já tinha chegado na casa de Adriana, eu disse que ainda estava no ônibus quê ele podia ir dormir que amanhã depois do café eu retornava para ele, Marcos completamente inocente me desejou boa noite e foi dormir sossegado.

Silas animado com a bebida ficava tirando sarro do Marcos fazendo chifres com as mãos, chamando ele de corno e aquilo me deu mais pena de Marcos, ficamos ali bebendo até terminar a garrafa, foram duas garrafas de champanhe e a gente ficou bem embriagados, Silas me pegou pela mão e me levou para dentro do Chalé, sintonizou um canal adulto na TV a cabo, era uma cena de uma morena com dois negros bem dotados, eu não tinha costume de assistir filmes pornográficos com Marcos, eu não sei se era bebida ou todo aquele clima, mas acabei ficando super excitada com aquele filme, quando eu percebi Silas já estava deitado na cama só de cueca, não sei o que me deu mas também tirei minha roupa e fiquei só de calcinha e sutiã, Silas me puxou pelas mãos me fazendo cair em cima dele, foi só eu cair em cima que ele já veio me beijando, o desgraçado beijava bem demais, enquanto ele me beijava seu pênis duro forçava minha calcinha, ele não precisou pedir e eu mesma tirei minha calcinha para poder sentir ele na minha xoxota.

Mas Silas tinha desejado aquele momento, pediu para que eu fizesse um sexo oral nele, eu fiquei meio envergonhada mas acabei aceitando e comecei chupando ele bem devagar, seu pênis enorme e fiquei chupando só a cabeça, Silas falava para mim que sabia que aquela minha boquinha ia acabar chupando seu pau, se ele tivesse me dito isso eu acho que duvidaria, mas o desgraçado conseguiu o que queria e eu estava me chupando, Silas ficou ali se satisfazendo com meu boquete, eu fiquei chupando aquele pênis por mais de 15 minutos, Marcos sofria de ejaculação precoce, nunca resistiu nem 2 minutos, Silas ao contrário parecia se divertir com aquilo, já foi me puxando para um 69 e chupava meu cuzinho e minha xoxota ao mesmo tempo, às vezes parava de me dava uns tapas na bunda, Marcos nunca tinha me batido, eu estava gostando de levar aqueles tapas, Silas sabia o que estava fazendo, ele falou que sabia que eu era uma mulher mal comida, queria me ensinar ter prazer de verdade.

Depois daquele 69 minha xoxota estava latejando e Silas me posicional de 4 sem nenhum receio enfiou seu pênis na minha bucetinha, segurou meus cabelos inclinando minha cabeça para trás, e socou para valer, você vai ser minha putinha daqui para frente Viviane, ele me pedia para responder suas provocações, ele queria que eu repetisse que eu ia ser sua putinha, e que ia dar para ele quando ele quisesse, eu estava tão dominada, que falava tudo que ele queria em meio aos meus gemidos, Silas me comia como um homem de verdade, ele me fez esquecer que eu era uma mulher casada e que um dia já tinha feito sexo com Marcos, Silas era diferente demais, era sexo selvagem e animal, ele tirou seu pênis da minha xoxota e eu ainda de quatro tive que empinar minha bundinha, Silas queria comer meu rabinho o desgraçado não precisou nem pedir já foi empurrando aquele cacete sem nenhuma preocupação, senti sua cabeça abrindo meu cuzinho, Silas erguer o meu quadril mais um pouco e pediu para que o relaxar-se, eu nunca tinha dado o meu cuzinho para ninguém, sabia que era a minha chance então fiz o que ele me mandou, Silas sabia o que estava fazendo, foi penetrando calmamente e ainda estimulando meu clitóris, ele já estava com a metade enfiado em mim, mudou a posição e ficou deitado sem tirar seu pênis de dentro do meu cuzinho, ele queria que eu acabasse sentando tudo nele, então fui relaxando até ele entrar por inteiro, Silas apenas agora acariciava meus mamilos, era incrível a sensação de sentir ele todo dentro de mim, eu estava confiante e Silas me ajudou com suas provocações, fode esse rabinho Vivi, então comecei a rebolar no seu pau, Silas então me colocou de quatro de novo, e terminou o serviço fodendo meu cuzinho com gosto, ele bombou algumas vezes e acabou gozando fartamente, inundando meu rabinho com seu esperma quente.

Silas tirou seu pau e fui tomar uma ducha e eu fiquei ali na cama me contorcendo de prazer, se aquilo ali era para pagar minha dívida eu queria ficar endividada para o resto da vida, eu estava querendo mais, então entrei no box com Silas, ele sorriu dizendo, a putinha quer mais e eu disse que sim, então Silas me fez chupar seu pênis embaixo do chuveiro, eu chupei ele como nunca tinha chupado Marcos, Silas sabia me provocar, nas suas mãos eu me tornei uma putinha piranha, queria ser comida com violência, Silas tinha despertado uma mulher insaciável em mim, que até então eu não conhecia, eu queria muito mais, Silas me colocou contra o blindex e eu empinei minha bundinha para ele, seu pênis enorme encaixou na meu cuzinho e dessa vez ele entrou sem cerimônia, foi bombando meu cuzinho sem do nenhuma, eu estava adorando aquela comida de rabinho, Silas me comeu gostoso, meu cuzinho já estava todo laceado, minhas pregas foram arrombadas, Marcos jamais faria um estrago daqueles, Silas me deixou toda arrasada, transamos tanto que acabamos pegando no sono.

Acordei com nosso café na cama, Silas me deu um beijo apaixonado, disse que eu era tudo que ele tinha sonhado, e que me queria como sua amante, eu disse que ia pensar a respeito disso, mas depois daquela noite era só Silas pedir que eu ia correndo, eu me livrei da minha dívida e ainda ganhei um comedor melhor que meu marido, Silas me mostrou que uma mulher pode muito mais do que ela imagina, e o sexo é o caminho da Libertação.

Gostou do conto? deixe-nos saber com um comentário. Quer entrar no nosso grupo Whatsapp?
Veja aqui como o fazer: Clique aqui.
E se quiser nos enviar o seu conto faça por aqui: Enviar Conto.

(Clique na imagem em baixo visite nosso parceiro)

One Comment

Adicione um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Conteúdo Protegido !!