Putaria entre amigos parte 1

(Quer usar este espaço para divulgar algo? clique na imagem.)

Anuncia Aqui

Esse conto vou dividir em algumas partes, porque aconteceu muita coisa entre os envolvidos e também pra não ficar um texto muito grande de se ler (que é um saco). Tudo começou quando trabalhava em um grande portal de Internet, eu já conhecia a Ruth e o Leandro de outra empresa que trabalhei e através deles conheci a Paty e o Rodrigo. A Paty era uma gordinha daquelas que todo homem tem vontade de comer, tinha seios enormes, morena com um cabelo liso até a cintura, bunda grande e umas coxas bem grossas e por incrível que pareça, bem durinhas e era extremamente safada, eu paguei um pau pra ela desde que a vi a primeira vez com o Leandro. O Rodrigo é gay, amigo da Paty e eles sempre saiam de balada juntos.

(Quer usar este espaço para divulgar algo? clique na imagem.)

Anuncia Aqui

Magro, alto, com cabelos bem arrepiados, e muito engraçado. Nessa época eu tinha uma certa resistência em falar com pessoas assim, mas esse preconceito caiu enquanto trabalhava lá. A Ruth era lésbica e bem bonita, loirinha, olhos claros, magrinha, nunca me atraiu (quem já leu meus contos, sabe que eu tenho uma tara incontrolável por gordinhas e casadas..rsrs) e o Leandro era um cara também gordinho, bem inteligente e assim como eu, sempre correndo atrás de safadeza..rs

No prédio que trabalhávamos, tinha 7 andares, sendo que o último era da manutenção e ficava vazio a partir das 19 horas, virando uma espécie de “motelzinho da galera”. Todos nós trabalhávamos na empresa até as 23:00 nessa época e foi aí que tudo começou. O Leandro e eu já dávamos uns pegas na Paty alternadamente, e um certo dia, levei ela para dar uma voltinha no 7 andar. Tinha outros casais se pegando por lá também, dava pra ver uns amassos mais quentes e até alguns caras chupando uns seios ou sendo punhetados.

Levei ela para um canto qualquer de lá, mais longe da galera e lá começamos a nos beijar, a coisa ficava mais quente e quando nos demos conta, minha mão já estava dentro de sua calcinha e eu já enfiava os dedos dentro de sua boceta molhada e quente, várias vezes eu tirava a mão de dentro dela e lambia os dedos, adorava o gostinho dela e muitas vezes quando saiamos, eu ficava chupando por horas e a fazia gozar muito na minha língua. Ela gemia no meu ouvido como uma putinha, pedindo para eu continuar que ela ia gozar, enquanto isso ela já tinha aberto o zíper da minha calça e me punhetava devagar, cuspindo na mão e passando na cabeça para lubrificar.

(Quer usar este espaço para divulgar algo? clique na imagem.)

Anuncia Aqui

Ela começou a rebolar na minha mão e a contrair mais sua buceta e senti que ela ia gozar, aumentei a velocidade dos dedos penetrando nela e então, mordendo meu ombro ela deu uma gozada maravilhosa, enchendo a minha mão e prontamente eu passei a chupar os dedos e compartilhar com ela, que continuava batendo uma pra mim e pouco depois foi a minha vez de gozar, ela apertava meu pau ainda duro, espremendo até a última gota de leite e depois levando a boca, brincando com ele na sua língua e engolindo, em seguida me dando um longo beijo que fez meu pau endurecer novamente e ficar batendo em sua coxa.

Não podíamos ficar muito tempo por lá e voltamos a operação, separados para não levantar suspeita. Poucos minutos depois, recebi um e-mail dela dizendo que tinha adorado e que tinha uma fantasia que queria realizar, mas só ia me falar no final do expediente. Naquele dia, eu sai em um horário diferente do pessoal e não deu para conversar, e então no dia seguinte, ao chegar na empresa fui abordado por ela e pelo Leandro. Conversávamos numa boa até que ele virou pra mim e falou:

– Tá sabendo do que a Paty tá afim de fazer?

– Não, o que é?

A Paty e ele começaram a rir e ela chegou no meu ouvido e disse:

– Quero que vocês 2 me comam juntos!

Nessa hora eu nem conseguia falar, tamanha a surpresa! Eles pareciam se divertir com a minha cara, tinham conseguido me deixar sem jeito, com vergonha, sem palavras e sem ação. O máximo que conseguir fazer naquele momento foi fazer que “sim” com a cabeça, depois da pergunta “E aí, topa?” vinda do Leandro.

Combinamos então que seria no próximo final de semana, na casa do Leandro e que todos deveríamos levar bebida, pois ia ser difícil encarar a brincadeira sóbrio…rsrs Bom, essa foi a primeira parte, vou publicar mais uma parte logo em seguida. Não teve muitas emoções e nem nada que desse muito tesão, mas acreditem, a historia fica muito boa!!!! rsrs
E-mail: [email protected]
Twitter: victorlionhear2
Skype: victorlionheart
Hangouts: [email protected]

Conto enviado por:  Victor Lionheart (Obrigado)

Gostou do conto? deixe-nos saber com um comentário.
Quer entrar no nosso grupo Whatsapp? Veja aqui como o fazer: Clique aqui.
E se quiser nos enviar o seu conto faça por aqui: Enviar Conto.

(Clique na imagem em baixo visite nosso parceiro)

E estes contos já lestes?

Deixe um Comentário. (Proibido divulgar Whatsapp ou emails)

Seu endereço de e-mail nao será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

error: Conteúdo Protegido !!