Sombra do prazer

(Quer usar este espaço para divulgar algo? clique na imagem.)

Anuncia Aqui

Esse era o momento, quando todos dormiam. Eu já sabia que ele viria, tinha medo que alguém acordasse, mais mesmo assim estava sempre esperando a visita daquela sombra noturna. Acredito que tudo começou quando eu adolescente, despertando pros prazeres da carne, me entregava a alto gratificação de uma masturbação, era muito prazeroso porque era, sexo sem parceiro mais uma novidade muito bem vinda.
Dormíamos no mesmo quarto eu e meus irmãos menores, quando já estavam dormindo era minha deixa, não seria incomodada, estavam todos dormindo.

(Quer usar este espaço para divulgar algo? clique na imagem.)

Anuncia Aqui

Até que um primo veio morar conosco um tempo, Mais velho uma pessoa muito querida e muito meu amigo, tínhamos muita intimidade mais nem tanto. Numa noite normal assistíamos tv e um filme mais picantes chamou a atenção, fiquei envergonhada por causa das cenas do filme dei uma desculpa e fui pra cama. Mais tarde acordei e fiquei escutando, constatei que estavam todos dormindo, e comecei o meu ritual noturno, fiquei alí tranquila me acariciando, mais não precisava de muita coisa hoje, o filme já tinha me deixado bem excitada, apesar de ter ficado envergonhada por meu primo está na sala também.

Tá uma delícia essa noite, tão lubrificada que faz até barulho, todos teem um sono pesado mesmo de boa até que levei um distúrbio com um vulto passando do meu lado, geleia pensei que fosse um ladrão, mais percebi que era meu primo. Fiquei em choque pensando será que ele ouviu tudo? Quanto tempo ele estaria ali? Como olho pra ele amanhã, e se ele contar pra minha mãe? Todas essas coisas ficaram perturbando minha cabeça a noite toda, acabei não dormindo quase nada.

Um novo dia fomos cedo pra escola, quando cheguei dei de cara com ele e simplesmente parecia que não havia acontecido nada. Todas aquelas dúvidas cessaram e falei pra eu mesma – Ele não deve ter ouvido nada que alívio. Uns três dias depois já tranquila com aquela situação voltei a cumprir alto gratificação noturna como sempre após todos dormirem, estava com muito tesão afinal já faziam três dias comecei uma masturbação bem lenta queria aproveitar bastante, alisava meu grelo alternando a fricção pra não gozar muito rápido. Me desconsertado com uma respiração ofegante dentro do quarto, que não tinha porta. Então qualquer um poderia entrar.

-Deve ser o primo, então ele estava aí aquele dia e voltou, se quiser ouvir não tem problema, não está vendo mesmo, e continuei até gozar, mais segurando meus espasmos mais que o habitual. Agora tinha um ouvinte não queria parecer promíscua. Ouvi os passos dele se retirando no final de tudo, fiquei mais alguns dias sem minha deliciosa rotina, até pra que o episódio fosse esquecido. Numa terça feira ele chegou em casa com uma moça apresentou  pra mamãe como uma amiga ficaram conversando durante bastante tempo e saiu pra rua com ela e ficaram no portão mais tarde olhei pela janela e ele à beijava, na hora não entendi porque mais fiquei com raiva e fui pra cama zangada. Mais tarde acordei e percebi que ele estava no quarto, me virei pro outro lado e fui dormir.

(Quer usar este espaço para divulgar algo? clique na imagem.)

Anuncia Aqui

No Sábado a mamãe foi trabalhar numa lanchonete como de costume pegava o turno da noite, meus irmãos foram pra festinha de um dos amiguinhos e iam dormir lá até que a mamãe os pegasse na volta do serviço, ficamos só eu e a sombra noturna. Estava chateada mais não compreendia que era ciúmes que estava sentindo, mais estava disposta a chamar a atenção dele, então comecei minha brincadeirinha, como estávamos sós fiquei mais à vontade, meus gemidos mais altos, logo ouvi sua respiração dessa vez mais ofegante, e gemi aínda mais alto pra que ele sentisse um pouco do meu prazer.

Chegando bem mais perto senti sua respiração na virilha  fiquei arrepiada, não demorou muito pra sentir uma língua na barra explorando meu umbigo, não sabia o que fazer e fui deixando, porque estava tão bom era muito novo era bom demais pra parar, não tinha forças pra lutar contra meu desejo que aumentava  a cada segundo. Nunca imaginaria aquele prazer na masturbação habitual, estava muito diferente do que conhecia, quando a língua chegou na minha bucetinha quase desmaiei com os orgasmo que tive.

Sem tirar aquela língua na avilhosa se virou e pregou a minha mão e pôs em cima do cacetão duro e latejante. Não imaginava que seria tão grosso, chegava a abrir minha mão com os latejos de tesão, devagar me mostrou como fazer ele feliz. Ao mesmo tempo enfiou o dedo lá dentro e já me senti transando porque o dedo dele era o equivalente a três do meu e me falou.

-Goza pra eu sentir todo seu prazer, não demorou muito toco um orgasmo que perdi o controle de cada músculo do meu corpo vibrava pra uma direção diferente do outro, até meu grito foi involuntário. Quando gozei ele terminou se masturbando e gozando em cima da bucetinha que naquele momento vertia um rio de prazer indescritível deu um beijo bem gostoso chupou minha língua e falou no meu ouvido é só o começo. Estava certo brincamos muitas vezes mais ele nunca quis me penetrar disse que eu tinha que escolher alguém melhor pra isso. O problema é que nunca achei ninguém melhor

Conto enviado por:  Jerlis Dias Souza (Obrigado)

Gostou do conto? deixe-nos saber com um comentário.
Quer entrar no nosso grupo Whatsapp? Veja aqui como o fazer: Clique aqui.
E se quiser nos enviar o seu conto faça por aqui: Enviar Conto.

(Clique na imagem em baixo visite nosso parceiro)

E estes contos já lestes?

Adicione um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Conteúdo Protegido !!